O Cinema Incandescente de Werner Herzog

Curso
O Cinema Incandescente de Werner Herzog


com Rita de Cássia da Silva Leão
14 a 23 de fevereiro de 2017

Uma reflexão sobre os elos indissociáveis entre cinema e assuntos contemporâneos, por meio da análise de filmes do cineasta Werner Herzog.

O conteúdo será ministrado pela professora e doutora em Ciências Sociais Rita de Cássia da Silva Leão, em 4 encontros, entre os dias 14 a 23 fevereiro, sempre às terças e quintas-feiras.

O curso visa explorar alguns dos filmes de Herzog em que as fronteiras entre ficção e realidade são borradas pela magia da linguagem cinematográfica do diretor. As análises serão realizadas com base em autores como Boris Cyrulnik, Claude Lévi-Strauss, Edgar Morin e Michel Serres, empenhados em questionar as separações entre natureza e cultura, animalidade e humanidade.

O CINEMA INCANDESCENTE DE WERNER HERZOG é uma leitura que estabelece diálogo entre o cinema de Herzog – configurado como um depoimento legítimo dos valores sociais e artísticos de nosso tempo – e diversos assuntos contemporâneos, a saber: natureza e cultura, condição humana face ao sistema, relação do homem com outros animais, religiosidade, o ser humano e os seus limites – ou a falta destes – e sobre a destruição da vida na terra.

Em 2016, o diretor completou cinquenta e quatro anos de carreira cinematográfica, com sessenta e oito filmes (entre curtas, médias e longas metragens).

Programa

Aula 1 | 14 de fevereiro, terça-feira: O cinema incandescente
Primeiramente serão apresentados o panorama da vida e obra de Werner Herzog e uma breve demonstração dos teóricos que norteiam as discussões. Este encontro terá como mote os excertos de A caverna dos sonhos esquecidos (2010), documentário realizado em 3D, o qual aborda a Caverna de Chauvet, no sul da França, encontrada em 1994. Os refinados desenhos nas paredes da caverna, assim como os depoimentos de cientistas, levam-nos a imaginar como era a vida no período Paleolítico e, o mais importante, como essa descoberta expande o que conhecemos como história da humanidade, fazendo-nos pensar sobre qual herança deixaremos para as gerações futuras.

Aula 2 | 16 de fevereiro, quinta-feira: Vítimas da ciência
A partir de trechos de O enigma de Kaspar Hauser (1974) e Woyzeck (1979), observaremos como o diretor dirige seus ataques à medicina e às ciências em geral, denunciando o compromisso destas com o poder burocrático e as forças militares. Será enfatizada também a crítica ao iluminismo de maneira geral, ou seja, à razão que propugnava a liberdade e os direitos do homem, com a promessa de substituir as superstições e crenças pelo conhecimento científico.

Aula 3 | 21 de fevereiro, terça-feira: Subversão e transgressão
A partir de fragmentos da película Os anões também começaram pequenos (1970)– cujo enredo se desenvolve em um reformatório destinado apenas a anões – notaremos como um jovem cineasta, da primeira geração pós-guerra, apresenta-se para o público, assim como as devidas repercussões de um filme que subverte a ordem da produção cinematográfica vigente, sendo considerado insuportável por atacar as instituições burguesas, a religião, a educação, as boas maneiras e os cuidados com a natureza.

Aula 4 | 23 de fevereiro - quinta-feira: O elo entre ficção e realidade
No último encontro será abordado o elo entre ficção e realidade na obra do cineasta, considerando extratos de três filmes. Para iniciar discutiremos a respeito de Aguirre: a ira de Deus (1972) e Fitzcarraldo (1982), os quais são ficções que se valem de imagens com traços de documentário. Para finalizar, veremos trechos de Além do Infinito Azul (2005), sobre um extraterrestre que vem à terra a procura de um planeta para a sua comunidade, pois o seu fora destruído. O filme é repleto de dados científicos, matemáticos e físicos que explicam as viagens interplanetárias, passando a impressão de se tratar de um documentário.

Sobre Rita de Cássia da Silva Leão

Doutora em Ciências Sociais (Antropologia) pela PUC-SP, ao pesquisar sobre a obra do cineasta alemão Werner Herzog, relacionando-a com temas antropológicos. Atualmente é professora no curso de Pedagogia do Centro Universitário São Camilo, além de lecionar em curso livre no SESC sobre cinema e antropologia.

Informações

No Espaço Itaú de Cinema – Augusta | Anexo

Endereço: Rua Augusta, 1470 – Cerqueira César / São Paulo

Período: de 14 a 23 de fevereiro de 2017, terças a quintas-feiras

Carga horária: 12 horas em 4 encontros

Horário: das 19h30 às 22h30

Vagas: 30 pessoas (mínimo de 15 para a realização do curso)

Inscrições: (11) 3266-5115 | escola@cinespaco.com.br | Rua Antônio Carlos, 288 – 1º andar

Formas de Pagamento

Até 10/02/2017
R$ 280,00 ou 2 cheques de R$ 150,00 

A partir de 11/02/2017
R$ 310,00 ou 2 cheques de R$ 170,00

Aula avulsa
R$ 100,00

Inscreva-se

Preencha o formulário abaixo para garantir sua vaga.

Contate-nos

Sim
Não
Dinheiro
Cheque
Depósito identificado
Share by: